Siga-nos no Twitter   Siga-nos no Facebook   Siga-nos no Instagram



Mais de 150 pessoas, entre incorporadores, construtores, projetistas, engenheiros e acadêmicos marcaram presença no evento “Vitória nas alturas”, que aconteceu no auditório da Findes (Federação das Indústrias do Espirito Santo), na capital capixaba, no dia 10 de novembro de 2017.

Além de discutir com grandes especialistas da área as necessidades e os cuidados para a elaboração de projetos seguros e em consonância com as normas brasileiras, o evento promovido pela ABECE, em parceria com a Findes e o Sinduscon-ES (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Espírito Santo), marcou o surgimento da Regional Vitória da ABECE.

Na solenidade de abertura, o presidente da ABECE, eng. Jefferson Dias de Souza Junior, agradeceu as parcerias firmadas e a presença significativa do público participante, enfatizou o papel da ABECE e sua representatividade para o setor, assim como a importância da chegada da entidade no estado do Espirito Santo com posterior formalização de uma regional. 

Representantes de entidades marcaram presença e subiram ao palco para a abertura do evento, como Luis Claudio Mazzini Gomes (Sinduscon-ES), Luiz Henrique Toniato (vice-presidente da FINDES), José Maria Cola dos Santos (vice-presidente do CREA-ES), Holdar de Barros Figueira Netto (IOPES - Instituto de Obras Públicas do Estado do Espírito Santo) e Alexandre Vasconcelos (ABCIC - Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto).

Antes de dar início às palestras, o eng. José Luiz Varela, vice-presidente de Marketing da ABECE, principal articulador na constituição de regionais da entidade e coordenador do evento “Vitória nas alturas”, agradeceu a presença e colaboração de todos para o sucesso da iniciativa e, em nome do eng. Marcos de Mello Velletri, fundador e primeiro presidente da ABECE, referenciou a significativa presença de ex-presidentes e ex-diretores no local.

Em seguida, Varela falou um pouco do físico químico e pesquisador da história da ciência, Rômulo Vasco da Gama de Carvalho, e todo o seu trabalho ao longo de sua vida acadêmica de divulgar entre os jovens a importância das carreiras profissionais ligadas às ciências, e lembrou também da sua atividade de poeta iniciada quando ele já tinha 50 anos de idade.
Relatou que, sob o pseudônimo de António Gedeão, ele escreveu três livros, cada um com 30 poesias, entre 1956 a 1961, e utilizou-se da poesia para a divulgação da ciência, principalmente entre os jovens, pois fazia uso de termos e conceitos científicos.

Em seguida, foi projetado um vídeo com o poema musicado por Manuel Freire, "Pedra Filosofal", um dos primeiros do livro publicado por António Gedeão, "Movimento Perpétuo" - 1956. Ao término da projeção, o eng. Varela leu para os presentes os versos da primeira e última estrofes do poema enquanto projetava-se na tela as fotos do ex-presidente da ABECE eng. José Roberto Braguim, falecido em 2010.

“Tal como no poema de Gedeão, nós também fizemos de um sonho iniciado há quase 25 anos, liderados por jovens como o eng. Velletri e outros colegas, a ABECE tal qual a conhecemos hoje, resultado do trabalho voluntário, dedicação e persistência de dezenas de outros sonhadores que o sucederam, entre eles o saudoso amigo José Roberto Braguim. Ele é o exemplo de quem busca na utopia o caminho para o realizável e a ele devo minha eterna gratidão, por vir a fazer parte da diretoria nacional da ABECE nestes últimos 11 anos”, ressaltou o eng. Varela.

E complementou: “Esta é a ABECE que construímos e que completará seus 25 anos de existência na próxima gestão, em 2019. Os jovens engenheiros que cresceram durante este período já estão preparados para assumir a associação do século XXI. Este é o legado que a nossa geração construiu e deixa para os jovens de hoje levarem adiante, buscando sempre a valorização profissional. Por último, gostaria de ressaltar a todos o compromisso que temos nós, projetistas e construtores, para com a sociedade, de produzir edificações que tenham qualidade, segurança, confiabilidade e durabilidade, e com a ética profissional, que deve estar acima de tudo”.

Normas técnicas na visão do advogado

Muito aguardada pelos participantes, principalmente pelos dirigentes da construção civil do Espírito Santo, a palestra do Dr. Carlos Pinto Del Mar, intitulada “As normas técnicas na visão do advogado, com ênfase na norma de desempenho”, apresentou a importância dos projetos e execução estarem em conformidade com as normas técnicas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), bem como outros regulamentos pertinentes.

Numa linguagem muito acessível aos engenheiros, Del Mar, que é membro e atual coordenador do Conselho Jurídico do Secovi-SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo), consultor jurídico da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) e membro da comissão de estudos da ABNT NBR 15575, abordou  a relação de responsabilidade entre o consumidor e o produtor e demais fornecedores de produtos e serviços em uma edificação.

Também buscou mostrar a visão do advogado com relação à norma de desempenho e a interpretação da vida útil de projeto dos vários sistemas de uma edificação. Nós diversos itens abordados, foram apresentados os artigos do código civil brasileiro, e também do código de defesa do consumidor, relativos à questão da responsabilidade de desempenho e durabilidade das edificações.

Complementando, apresentou inúmeros comentários e acórdãos de juízes pertinentes aos temas em discussão. No final, houve uma série de perguntas dos participantes buscando esclarecer algumas dúvidas sobre os itens abordados durante a palestra.

Avaliação Técnica de Projetos

Finalidade, conceitos, diretrizes e recomendações ABECE para ATP - Avaliação Técnica de Projetos foram apresentados pelo eng. Leonardo Braga Passos, mestre em Engenharia de Estruturas pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), diretor da ABECE e sócio diretor da PI-Engenharia e Consultoria e da Revitalizar Engenharia de Recuperação com larga experiência na realização de projetos estruturais em obras industriais, residenciais, aeroportuárias, comerciais e públicas.

Sua palestra buscou apresentar para os participantes as principais características da atividade de avaliação técnica de projetos, desde a contratação do serviço, como as diversas modalidades de ATPs, em função de que etapa do projeto é feita sua contratação.

Ressaltou a relação entre o projetista e o avaliador, do ponto de vista ético, buscando uma sinergia entre ambos profissionais, tendo como foco a realização de um projeto que tenha total conformidade com as normas técnicas e regulamentos pertinentes ao projeto estrutural.

Foram abordadas também as recomendações da ABECE para Avaliação Técnica de Projetos, nas quais são descritas as boas práticas para o desenvolvimento desta atividade profissional.

Os participantes tiveram informações suficientes para conhecer mais a fundo a importância da ATP e a maneira de se desenvolver esta atividade de forma profissional e ética.

Importância do projeto para uma boa execução

Execução de estruturas de concreto, enfocando histórico, a importância dos projetos para uma boa execução e novas tecnologias, foi tratada pelo eng. Marcelo Silveira, sócio do escritório técnico de projetos estruturais MD Engenheiros Associados, com sede em Fortaleza (CE), e filial em Niterói (RJ), tendo projetado mais duas mil obras em concreto armado e protendido e prestado consultoria em diversas obras de importância, tais como o Canal da Integração do Açude Castanhão, METROFOR – Metrô de Fortaleza.

O vencedor do Prêmio Talento Engenharia Estrutural nos anos de 2013 (Arena Castelão) e 2015 (Iguatemi Fortaleza), recebendo, em 2016, menção honrosa (Torres Eólicas de 100 metros de altura do Parque Eólico de Icaraí de Amontada), iniciou sua apresentação mostrando o início do uso da protensão em projetos de edificações.

Ressaltou que utilizando a longa experiência que os projetistas estruturais tinham com o uso da protensão aderente nos projetos de pontes, esta técnica passa a ser utilizada no início da década de 90 em edifícios com grandes vãos livres.

Na sequência, abordou a utilização de mono cordoalhas engraxadas no projeto de lajes planas a partir de 1997 com o início da produção deste tipo de cordoalha no Brasil pela antiga Belgo Mineira. Apresentou diversos projetos de sua autoria com lajes planas protendidas com cordoalhas engraxadas, mostrando a versatilidade desta tipologia estrutural.

O palestrante expôs os vários processos que foram sendo desenvolvidos ao longo dos anos que propiciaram o aumento da produtividade na execução de obras com lajes planas protendidas e também lajes nervuradas com vigas faixa protendidas, e abordou, também, a importância da modularidade para atingir níveis mais elevados de produtividade.

A apresentação de casos de obras reais com processos visando uma maior produtividade da execução, deixou bem clara a eficiência destes novos processos e produtos que permitem um substancial aumento da produtividade na execução das estruturas.

Inspeção e diagnóstico

O Prof. Dr. Carlos Britez, pós-doutorando em Engenharia Civil na EPUSP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) e parceiro da PhD Engenharia Ltda., empresa liderada pelo Prof. Dr. Paulo Helene, foi o convidado para falar sobre inspeção e diagnóstico com foco em não conformidade de projeto.

Foi apresentado, em primeiro lugar, o caso da queda de uma viga pré-moldada de concreto durante a montagem da mesma. Uma análise criteriosa do projeto, bem como da execução dos elementos pré-moldados foi elaborada.

“Via de regra, acidentes como estes são resultado da conjunção de vários fatores, que levam ao insucesso”, alerta o palestrante, que descreveu as várias análises realizadas na viga, bem como em seus apoios.

A partir dos resultados das análises de campo, foram detectadas não conformidades construtivas, que aliadas a deficiências de projeto, forneceram elementos suficientes para esclarecer o mecanismo de falha que levou à queda da viga durante a fase de montagem.

O segundo caso apresentado está em processo judicial e trouxe aos participantes ensinamentos importantes sobre a importância da inspeção e do diagnóstico.

Norma de ações de vento

A norma de ações de vento, enfocando seu histórico, conteúdo e a influência das ações de vento no projeto estrutural de edifícios altos, foi esmiuçada pelo Dr. Johann Andrade Ferrareto, engenheiro civil formado pela EPUSP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo), com mestrado em Engenharia Nuclear na Ecole Speciele de Travaux Du Bâtimente et de l'Industrie (Paris/França) e doutorado pela EPUSP em 2017.

Numa palestra muito didática, o eng. Johann fez uma revisão sobre vários itens da norma de ações de vento (NBR 6123) que são levados em consideração para a determinação das ações de vento nas edificações.

Abordou conceitos de confiabilidade, probabilidade de ocorrência de velocidades de vento iguais ou superiores as de projeto, dependendo do período de retorno e do tempo desejado de vida da edificação.

Os efeitos dinâmicos, suas implicações no dimensionamento da estrutura, bem como a análise do conforto humano buscando manter níveis de acelerações dentro de limites aceitáveis das normas, foram outros aspectos discutidos.
Os ensaios em túnel de vento como uma ferramenta para a aquisição de dados de pressão de vento mais realistas, em função da reprodução da vizinhança e relevo no entorno da edificação, foram objeto de uma detalhada explanação do palestrante.

Todo o processo envolvido na elaboração de um ensaio em túnel de vento foi descrito, desde a elaboração do modelo da edificação até o posicionamento dos pontos de tomadas de pressão.

“A metodologia de HFPI, de integração das pressões de vento em alta frequência, é que vão permitir deduzir as forças estatísticas equivalentes e as acelerações a partir das histórias de forças instantâneas e simultâneas que foram adquiridas durante o ensaio para as várias direções de ação do vento”, explicou.

Foi feito um breve resumo sobre o andamento da revisão da NBR 6123, principais itens que estão sendo revisados, com ênfase ao trabalho para a obtenção de novas velocidades básicas de vento e incorporação de novas séries históricas de velocidades máximas de vento obtidas de várias estações ligadas ao INMET, INPE, aeroportos.

Segundo o eng. Johann, estes dados estão sendo trabalhados em uma tese de doutorado na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e o resultado será a base para o novo mapa de isopletas do Brasil.

Protensão e o estado atual da arte de projeto e execução

“A protensão no Brasil - Histórico, evolução e atual estado da arte de projeto e execução no Brasil e no exterior” foi o tema abordado pelo Prof. Dr. Evandro Porto Duarte, diretor técnico da Mac Protensão e da Portante Engenharia, membro do Prestressed Concrete Institute e do American Concrete Institute e responsável por mais de mil obras em concreto protendido e por mais de 350 projetos de obras com este sistema.

Com sua experiência de mais de 40 anos no ensino de concreto protendido, na UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e no IME (Instituto Militar de Engenharia), o palestrante proporcionou aos presentes no limitado tempo da sua palestra, mostrar os princípios básicos e fundamentais do sistema de forças gerados pela protensão e os seus efeitos sobre os elementos que recebem estas forças.

As forças de "desviação", como o eng. Evandro define, são as responsáveis por introduzir forças contrárias às da gravidade, aliviando os momentos fletores atuantes no elemento estrutural devidos ao peso próprio mais a sobrecarga, além da introdução de uma carga de compressão.

Foram abordados os vários tipos de protensão e as diversas tipologias de estruturas e métodos construtivos utilizando a técnica da protensão.

Entremeando os aspectos técnicos da sua palestra, o eng. Duarte incluiu aspectos importantes para um profissional aplicar os seus conhecimentos de protensão em seus projetos. O primeiro e principal, segundo ele, é ter pleno conhecimento da técnica e dos aspectos normativos que regem o projeto e execução de elementos de concreto protendido.

Ressaltou a importância da ética profissional na relação entre contratante, projetista estrutural e o executor da protensão para que se obtenham obras com qualidade, segurança, durabilidade e sustentabilidade.

Sua apresentação, segundo avaliação dos presentes, foi muito mais do que uma aula sobre concreto protendido; foi uma aula de cidadania. “É tempo de se refletir e termos a consciência de agir para construirmos novas bases, que possam levar este nosso país a diminuir as desigualdades sociais e fazer com que a ética volte a ser o senso comum para consolidar uma sociedade mais justa, moral e socialmente”, concluiu.

Importância das normas para um bom projeto

A importância das normas para desenvolver um projeto complexo com qualidade, segurança, confiabilidade e durabilidade foi enfatizada pela eng. Suely B. Bueno, diretora de Normas Técnicas da ABECE e sócia diretora do Escritório Técnico Julio Kassoy e Mario Franco Engenheiros Associados, utilizando como exemplo o projeto do Edifício Aqwa Corporate.

Vencedor da categoria Edificações do 15º Prêmio Talento Engenharia Estrutural 2017, o empreendimento localizado na região portuária da cidade do Rio de Janeiro e composto de duas torres que se tocam chama a atenção pela arquitetura: em vez de blocos retangulares, ele atinge a forma com diagonais ao longo dos pavimentos mais altos.

Inicialmente, a eng. Suely fez um recorrido sobre diversas tipologias de estruturas e o limite de altura adequado a cada uma delas, ressaltando, principalmente, a interação entre o arquiteto e o engenheiro estrutural para conceber uma construção que atenda as formas e a estética desejada, tendo sempre como foco uma estrutura econômica e que permita uma execução com uma produtividade desejada pelo contratante do projeto.

“Além de atender aos aspectos do projeto arquitetônico, a estrutura tem que ser compatibilizada com dezenas de outros projetos complementares, como no caso do Aqwa”, enfatizou a palestrante.

Ela apresentou um resumo das várias fases da concepção estrutural desta obra, mostrando as alternativas propostas pela arquitetura e as respectivas soluções estruturais. “Das várias alternativas, chegou-se àquela que melhor atendeu ao aspecto arquitetônico, bem como a necessidade de uma precisão executiva da estrutura”, explicou.

Neste caso, a tipologia de estrutura mista aço e concreto veio a atender tais necessidades com relação à melhor precisão executiva, aliada ao menor peso próprio das lajes, se comparadas com alternativas de lajes de concreto protendido.

Durante a execução da estrutura foi realizado o acompanhamento da geometria com o uso da tecnologia de laser scan, que a partir de um referencial através da varredura por laser, consegue-se obter a geometria real da edificação, que podia ser comparada ao modelo analítico, e eventuais desvios podiam ser detectados, assim como soluções corretivas serem aplicadas.

Após a explanação da eng. Suely ficou claro para os participantes a importância da sinergia entre o engenheiro estrutural, arquiteto e executor da estrutura na concepção adequada da tipologia estrutural a ser utilizada para atender qualidade, segurança, confiabilidade e durabilidade da edificação.

No encerramento do evento, o presidente da ABECE, eng. Jefferson Dias de Souza Junior, voltou a agradecer a excelente participação do público presente e parabenizou os palestrantes pelas brilhantes apresentações e a todos pelo sucesso da iniciativa, ressaltando a importância da colaboração dos patrocinadores Belgo Bekaert Arames, Evehx, Impacto Protensão, Protendit, TQS Informática, Votorantim Cimentos, Atex do Brasil, Brasil Formas Esprial, Facão Bauer, Hilti, Mills, PTE, SH Formas, Somarsil e Pini).

Não há dúvidas que o evento cumpriu com primor seus objetivos. Para o eng. Marcelo Wagner Pereira, um dos futuros diretores da Regional Vitória e diretor da Vertiko Engenharia Estrutural (associada da ABECE), “reunir um público tão seleto para escutar e discutir sobre nossas preocupações é uma vitória; aliás Vitória é o nome de nossa capital... A ABECE está chegando do Espírito Santo e não servirá de nada se seus associados não buscarem seus objetivos. Somos fracos isoladamente, mas, juntos, promoveremos formação e valorização”, ressaltou.

Confira as palestras

Galeria de Fotos
img_2154_th...
img_2154_thiago-guimaraes_net img_2154_thiago-guimaraes_net

ABECE - Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1993, conj. 61 - São Paulo - SP - Fone: 11-3938-9400 - Fax: 11-3938-9407 - email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Produzido por www.arteinterativa.com.br